De Nova York ao P Norte




Quanto tempo não escrevo!
Merecidas férias com a família na praia...

Estou de volta e quero escrever sobre algo que me aconteceu e me marcou muito neste ano de 2010.
Estar em duas economias tão distintas num período de dois dias me fez pensar e repensar muitas coisas. Quero começar com um texto bíblico:

"Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e essa cobiça alguns se desviaram da fé, e se transpassaram a si mesmos com muitas dores" 1 Tm 6:10

"Porque é mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus." Lc 18:25


Nunca consegui entender muito bem esses textos. Quando lia o primeiro, entendia que o dinheiro é a raiz de todos os males. Significando que quem tem muito dinheiro tem muitos males. E eu acreditava assim, mesmo que inconscientemente: Deus me livre dinheiro! Trás muitos males.
Estranho não?! Falta de entendimento...
Depois com um pouco mais de entendimento, descobri que não é assim. Não é o dinheiro a raiz de todos os males, mas o amor ao dinheiro. São coisas bem distintas!

E também, imaginar um camelo passando pelo fundo de uma agulha é algo estranho. E dizer que dificilmente um rico entra no reino de Deus, para mim era dizer que no reino de Deus só tem gente pobre. Pobre financeiramente, nada de pobreza de outras coisas.

E aí eu pergunto: O que é amar dinheiro? O que é ser rico? É rico quem ganhar acima de quanto?! Quem é pobre? Se você nunca fez essas perguntas, eu já... 

Pois vejam só. Estou eu um belo dia em NY. Cidade maravilhosa! Mesmo já morando nos EUA, nunca tinha ido e posso dizer sem sombra de dúvidas que saí de lá com vontade de voltar. Voltaria anualmente com muito prazer. Na verdade, voltaria semestralmente. Melhor ainda, bimestralmente!  
Passei uma semana maravilhosa com parentes. Fiz todos aqueles passeios de turista. Andei de bicicleta pelo Central Park, vi a estátua da liberdade, tomei muitos cafés com bolo de limão no Starbucks, tirei uma foto com o touro de Wall Street, assisti um musical da Broadway e andei muito de metro que por sinal achei bem feio embora te leve para qualquer lugar. Típica viagem de turista!

Ao andar pela 5a avenida, percebi que a enorme (ao meu ver) quantia de dinheiro que tinha levado para a semana inteira,  poderia ser gasta em apenas um item de uma loja. Opa, não estou com tanto dinheiro assim, pensei eu. Analisando algumas outras lojas, percebi ainda que todo o meu dinheiro não era 10% de um vestido de outra loja. Caramba, estou mal, pensei! Tudo bem... pra que ter um vestido tão caro?! Nossa, como uma pessoa pode comprar um vestido tão caro tendo tanta gente passando fome no mundo?!!?? É um absurdo!!!! (tive esses devaneios morrendo de vontade de ter um desses maravilhosos vestidos e arrasar em uma festa)


Voltei para casa muito feliz, com minha mala cheia, preocupadíssima em extrapolar o limite de peso da bagagem e animadíssima em voltar a NY. Que sonho de lugar! Que arquitetura rica!

Ao chegar em Brasília, logo no dia seguinte, minha amiga sócia, me pede para levá-la a um lugar que eu nunca tinha ido para entregar alguns produtos que ela tinha vendido. O lugar não é de fácil acesso e a foto tá lá em cima pra vocês conhecerem onde fui. Um lugar não asfaltado muito mal urbanizado. Muito diferente do lugar que tinha acabado de chegar.

Eu ainda estava com NY na cabeça. Ainda sonhando com aquela realidade..... Aí eu acordei!

Cheguei lá com meu carro e entrei no restaurante da cliente para entregar o produto. Minha amiga logo disse que eu tinha acabado de chegar de NY e já estava me achando.....  e continuei só prestando atenção à realidade da situação.
Pensei: Meu Deus, como podem existir duas realidades tão distintas?! E que choque presenciar isso!

EM NY eu era pobre......uma mera moradora de um país de terceiro mundo...
                                       que não tinha 10% do valor de um vestido até "básico" de uma loja da 5a avenida

Nesse outro lugar eu era rica..... uma super chique moradora do plano piloto da capital do brasil...
que poderia muito bem ser a pessoa mais rica da rua

Como posso pertencer a duas classes sociais em tão curto período de tempo?!

Digo uma coisa a você, agradeço muitíssimo a Deus por vivenciar essas realidades tão distintas. Não tem nada melhor. A gente fica um pouco mais pé no chão e você agradece mais do que reclama.

Qual é o seu valor? Que valor você dá para o dinheiro? Mais do que deveria?! Você acha que está bem porque ganha bem? Sabia que o seu ganhar bem pode ser muito e pode ser nada dependendo do referencial?! 

Deus nos criou para sermos e não termos! Devemos buscar as coisas de Deus primeiro, depois Ele nos acrescentará TODAS as outras coisas. Acredito que a grande  maioria de nós busca as outras coisas primeiro, depois as coisas de Deus. Não é verdade?! Que grande desafio!

Andando nessas duas realidades, vi todo tipo de coisa. Lugares muito pobres onde pessoas amavam tanto o dinheiro ao ponto de fazerem coisas muito feias para consegui-lo. Quanto mais faziam isso, menos tinham. Vi outras que eram tão ricas de saúde, amor e harmonia, mesmo com tão pouca comida em casa. Outras tão bem financeiramente que andam com um buraco no meio do peito de tão vazias e algumas tão ricas e tão generosas.

E aí?!
E ai que é muito bom eu olhar para essas duas fotos de vez em quando. Elas me ajudam a me colocar no meu devido lugar. Não me achar de mais nem de menos. Me ajudam a lembrar que o valor que tenho não está no que tenho e sim no que sou. Me ajudam a lembrar que sempre posso ajudar alguém e que ninguém é melhor do que ninguém. Me ajudam a lembrar também que minha vida é maravilhosa, exatamente com tudo o que tenho e sou HOJE e por último, me  ajuda a lembrar  que algum dia quero voltar para NY ...

 Boa noite e sonhe com os anjos do Senhor
Mel Cruz

Nenhum comentário:

Postar um comentário