Mentalidade "Estou-ficando-cansado-e-vou-desistir"

Infelizmente, acho que a nossa geração chegou perigosamente perto da mentalidade "estou-ficando-cansado-e-vou-desistir". E isto não apenas no campo espiritual. Fazer dieta requer disciplina, então permanecemos gordos. Concluir os estudos é enfadonho, então abandonamos. Cultivar um relacionamento é doloroso, logo damos marcha a ré. Conseguir escrever um livro é muito árduo, então deixamos de escrever. Resolver os conflitos de um casamento é uma luta exaustiva, então nos separamos. Manter-se no emprego não é fácil, então começamos a procurar outra coisa.

Ignace Jan Paderewski, famoso pianista-compositor, realizaria um grande concerto na América. Seria uma noite memorável - o público vestindo smoking e vestidos longos, um espetáculo da alta sociedade. Presente na platéia, estava uma mãe com o seu inquieto filho de nove anos. Cansado de esperar, ele se contorcia sem parar no seu lugar. A mãe tinha esperança de que o filho fosse incentivado a tocar piano se pelo menos conseguisse ouvir o imortal Paderewski ao teclado. Então - contra a sua vontade - ele tinha vindo.

Quando ela se virou para conversar com alguns amigos, o menino não pode mais continuar sentado. Ele escorregou do lado dela, estranhamente atraído para o grande Steinway negro e seu banco forrado de couro, olhando com olhos arregalados as teclas brancas e negras. Ele colocou os seus dedos pequenos e trêmulos no lugar certo e começou a tocar "o bife". Rapidamente houve um clamor da multidão e inúmeros olhares de reprovação voltaram-se para ele. Irritados, muitos começaram a gritar:
" Tirem aquele garoto dali!"
" Quem traz um menino tão pequeno a um lugar assim?"
" Onde está a sua mãe?"
" Alguém faça-o parar!"

Nos bastidores, o mestre ouviu os sons que vinham do palco e rapidamente compreendeu o que estava acontecendo. Apressadamente, ele agarrou a sua casaca e entrou correndo no palco. Sem nenhum anúncio, parou por trás do menino, colocou uma mão de cada lado e improvisou um contracanto para "o bife". Enquanto ambos tocavam juntos, Paderewski sussurrava ao ouvido do menino:
- Continue. Não pare, filho. Continue tocando... não pare.. não desista.

Assim é conosco. Trabalhamos duro em nosso projetos, que parecem tão insignificantes quanto "o bife" em uma sala de concertos. E quando estamos prontos para desistir, aparece o Mestre, que se inclina e sussurra:

"Agora continue, não desista. Continue... não pare, não desista"

(Extraído da obra Growing Strong in the Seasons of Life, de Charles Swindoll)

Nenhum comentário:

Postar um comentário